Arcos da Lapa

Curta e compartilhe ;)

Arcos da Lapa, Rio de Janeiro
Arcos da Lapa, Rio de Janeiro
Print Friendly, PDF & Email

Arcos da Lapa (Aqueduto da Carioca):

Os Arcos da Lapa, antigo Aqueduto da Carioca, fica localizado na região da Lapa, bairro da Lapa, na Zona Central do município do Rio de Janeiro, Brasil.

Considerada como a obra arquitetônica de maior porte empreendida no Brasil durante o período colonial, é hoje um dos cartões postais da cidade. E o símbolo mais representativo do Rio de Janeiro antigo, preservado na região boêmia da Lapa. Ao seu redor, estão duas das mais importantes casas de shows da cidade do Rio de Janeiro. A Fundição Progresso e o Circo Voador.

Conservados pelo poder público os antigos arcos coloniais servem de pano de fundo para diversos eventos, como as festividades da Semana Santa e o tradicional Auto de Natal da cidade do Rio.

Igualmente serve de inspiração para artistas e músicos, e também fazem parte dos “agitos” das noites no bairro da Lapa.

O Aqueduto da Carioca conhecido popularmente como Arco da Lapa, possui estrutura em pedra argamassada com 270 metros de extensão por 17,6 metros de altura.

Em estilo românico, caiada, ele possui 42 arcos duplos é óculos na parte superior e liga o Bairro de Santa Teresa (antigo Morro do Desterro), ao Morro de Santo Antônio.

No período de sua construção foi empregada a mão de obra de escravos indígenas e escravos africanos.

Um pouco da história:

No início do século XVIII a cidade do Rio de Janeiro ocupava a área que atualmente é a zona central da cidade. Naquela época a cidade constantemente já sofria com a falta de água. Todavia consequentemente tinham que busca-lá em locais mais afastados e um desses locais era a foz do rio Carioca.

A primeira etapa ficou pronta em 1721, porém foi de fato em 1726 que a obra foi concluída. Não resistiu por muito tempo, pois era feito de madeira e também sofria a depredação pelos quilombolas, escravos fugitivos que habitam à mata.

Por fim em 1738 foi iniciado a reconstrução do Aqueduto com pedras e óleo de baleia. Em 1747 foi determinado que as águas fossem cobertas por abóbada de tijolos, para que o desvio mal-intencionado das águas fossem evitados.

Oficialmente o Aqueduto ficou pronto em 1750 e então foi inaugurado. As águas brotavam no Largo da Carioca em uma ladeira aos pés do Convento de Santo Antônio, em um chafariz de mármore, através de 16 bicas de bronze.

Mais tarde a ligação de água foi estendida, através da Rua do Cano (atual Rua Sete de Setembro), até o Largo do Paço (atual Praça XV de Novembro), onde os navios vinham para abastecer-se.

No segunda metade do século XIX, ainda durante o império e posteriormente do advento da República, novas alternativas para o abastecimento de água dos moradores da cidade do Rio de Janeiro foram surgindo e sendo utilizadas.

O bonde de ferro:

O aqueduto então tornou-se obsoleto, e a partir do ano de 1896 ele foi adaptado, e passou a ser utilizado como um viaduto para os novos sistemas de serviços de bondes de ferro, que eram elétricos, da Companhia de Carris Urbanos.

Sem dúvida tornou-se o principal meio de acesso do centro aos altos do Bairro de Santa Teresa e funciona até os dias de hoje. Os Arcos da Lapa por certo foi uma obra considerada monumental no período colonial, e levou cerca de meio século para ser concluída. Próximo aos Arcos da Lapa fica outro cartão postal: A Escadaria Selarón (veja Escadaria Selarón).


Galeria de fotos:


Como chegar:


Prefeitura do Rio de Janeiro.

http://prefeitura.rio/

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*