Camadas da Atmosfera da Terra

Curta e compartilhe ;)

Camadas da Atmosfera
Camadas da Atmosfera
Print Friendly, PDF & Email

Atmosfera do Planeta Terra:

A atmosfera do planeta Terra é dividida verticalmente em faixas concêntricas, que são definidas pela sua variação de temperatura e pressão, e também pela densidade dos elementos químicos que a compõe, que decrescem à medida que nos distanciamos da superfície terrestre formando assim as camadas da atmosfera da Terra.

De fato isso ocorre por causa da gravidade que atrai os gases e aerossóis para perto da superfície do planeta.

Inegavelmente os elementos que compõem o ar são essencialmente o oxigênio e o nitrogênio. Acima de 80 Km de altitude essa composição torna-se mais variável e com partículas suspensas, vapor de água e, alguns gases em menor quantidade como o argônio, neônio e dióxido de carbono.

Possui também pequenas partículas chamadas de aerossóis, uma mistura de cristais de gelo, poeira, fuligem, produtos químicos, entre outros. Isso ocorre mais próximo da superfície da terra, isto é, na baixa atmosfera.

Camadas da atmosfera da terra:

A atmosfera é constituída por cinco camadas a saber!

De baixo para cima são elas:

  • Troposfera;
  • Estratosfera;
  • Mesosfera;
  • Termosfera ou ionosfera;
  • Exosfera.

Elas servem como um manto protetor para o planeta, uma vez que se não existissem não suportaríamos o calor emitido pelos raios solares vindos do espaço sideral durante o dia.

Enquanto que, pela noite perderíamos todo o calor adquirido pelo sol e captado durante o dia, provocando dessa forma o resfriamento da Terra, e essa variação ocorreria muito rapidamente.

Troposfera:

Altitude: de 0 km à 20 km;
Temperatura: de 40º C à -60º C, nas partes mais altas.
Esta camada se estende a aproximadamente 20 km na linha do equador e 10 km nos pólos. Concentra-se nesta camada as maiores quantidades de gases indispensáveis para os seres vivos. 78% de nitrogênio [N], 21% de oxigênio [O] e 1% de gás carbônico [CO2]. Nela, ocorrem os fenômenos meteorológicos, como chuvas, neve, ventos e relâmpagos e a influência dos mesmos no planeta. Por exemplo, alguns aerossóis agem como núcleos de condensação para o vapor d’água, contribuindo na formação de nevoeiros, nuvens e precipitação. Enfim aqui também se concentra a poluição do ar e é também nela que transitam aviões, helicópteros, balões e etc.

Entre a troposfera a a próxima camada, estratosfera, à uma faixa de transição com o nome de tropopausa.

Estratosfera:

Altitude: de 20 km à 50 km;
Temperatura: de -5º C à -80º C.
Nesta faixa está a famosa camada de ozônio também conhecida como ozonosfera, que é responsável por filtrar e absorver a radiação ultravioleta (raios UV), emitida pelo Sol. O também famoso buraco na camada de ozônio, na verdade é a rarefação de nada mais, nada menos do que o ozônio, que fica mais concentrado nos pólos levados por fortes correntes de ar. Assim é essa falha na camada de ozônio permite a entrada em demasia de ondas eletromagnéticas na Terra que são os conhecidos raios UVa e UVb e que provavelmente podem causar diversos tipos de câncer. Certamente aqui também ocorre o efeito estufa.

Entre a estratosfera a a próxima camada, mesosfera, à uma faixa de transição com o nome de estratopausa.

Mesosfera:

Altitude: de 50 km à 80 km;
Temperatura: de -10º C à -100º C.
Esta camada protege a terra dos meteoros e é extramente fria. Entretanto a parte inferior desta camada é mais quente porque absorve calor da estratosfera e assim acaba gerando o fenômeno da aeroluminescência. Os meteoros e meteoritos caem a uma velocidade de aproximadamente 65 mil km/h, mas eventualmente explodem ao encontrarem o atrito dessa camada, que possui baixa temperatura. Nesta camada também se forma as intrigantes nuvens noctilucentes compostas principalmente por minúsculos cristais de gelo que só são visíveis quando iluminados por baixo, no pôr do sol.

Entre a mesosfera a a próxima camada, termosfera, à uma faixa de transição com o nome de mesopausa.

Termosfera ou ionosfera:

Altitude: de 80 km à 500 km;
Temperatura: pode chegar à 1.000ºC.
Camada mais extensa e também a mais quente, uma vez que as raras moléculas de ar absorvem a radiação do Sol, portanto em sua parte superior a temperatura pode chegar a 1.000ºC. Nesta camada o ar já é muito rarefeito e é aqui que o vento solar é interceptado pelo magnetismo da terra, magnetosfera, e posteriormente é direcionado para os pólos geomagnéticos. Quando esse ar, átomos e moléculas, retornam do seu estado energético de excitação, como resultado, eles emitem energia na forma de luz, o que acabam constituindo as auroras boreais no Norte e auroras austrais no Sul. Na parte inferior desta camada fica a ionosfera, faixa carregada de íons e que recebe e transmite as frequências de rádio.

Entre a mesosfera a a próxima camada, exosfera, à uma faixa de transição com o nome de termopausa.

Exosfera:

Altitude: de 500 km à 1.000 km;
Temperatura: 1.000º C.
É a transição entre a atmosfera e o espaço, por isso, vai terminando gradualmente até virar só o espaço sideral. Esta camada pode variar o seu tamanho até 1.000 km e pode se estender até dezenas de milhares de quilômetros dependendo da atividade solar. Nesta camada as partículas se desprendem da gravidade do planeta Terra. Certamente como o ar é extremamente rarefeito, a temperatura chega a 1.000ºC, mas apesar da elevada temperatura, não há perigo de uma nave ou satélite sofrer aquecimento, já que a atmosfera a esta altitude é extremamente rarefeita, o que faz com que a troca de calor seja muito pequena. Enfim é nessa altitude que se situam diversos de nossos satélites artificiais, inclusive o telescópio espacial Hubble.

Basicamente é formada por gás hélio [He] e hidrogênio [H]. De fato pela sua temperatura ser elevada e da densidade ser extremamente baixa, uma parcela significativa das moléculas e átomos que compõem a atmosfera a esta altitude se encontram ionizadas, formando assim um plasma, e não se comportando como um gás. Ademais é na exosfera que se encontram os cinturões de radiação de Van Allen. Um tanto curioso não? As camadas da atmosfera da terra.


Veja também os tipos de nuvens.

Acesse abaixo o site da NASA (National Aeronautics and Space Administration).

https://www.nasa.gov/

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*